Páginas

TRAVEL GUIDE: PARIS | Coisas Básicas


E que tal os transportes?
Bem, apanhei um voo da Transavia para Paris no dia quatro de manhã e o voo foi atrasado, com alguma turbulência e talvez para mim o pior defeito, como as hospedeiras são maioritariamente francesas e têm sempre aquele sotaque ao falarem inglês é um pouco complicado de compreender as instruções de segurança até porque o sistema de som também não era o melhor. Foi a primeira  vez em muitos voos que não ouvi na integra as manobras de segurança apesar de já as conhecer (seguidamente li o folheto informativo somente para me relembrar, nunca é demais!). Se fosse nova na arte de voar era muito pior pois não saberia o que fazer em diversas situações de emergência. São muito simpáticos e os preços muito agradáveis. Para cá, vim no dia 16 de madrugada desta vez sem atrasos e o voo passou a voar (interpretem isto das duas maneiras!). Já lá alugámos um carro para podermos ter mais liberdade já que íamos visitar família e amigos, tínhamos que ir comprar comida e íamos visitar sítios fora da capital francesa. Se alugarem um carro em Paris/França tenham muito cuidado porque os franceses são muito imprudentes e brutos a conduzir. Depois para o centro da cidade resolvemos fazer um passe (levem uma fotografia porque é obrigatório) que nos deu acesso aos autocarros, metros e até a um desconto num barco que dá uma volta no Sena. Este fica para vocês no final da viagem, não o têm que devolver já que tem a vossa fotografia e nome nele. Achei o metro muito engraçado pois são todos diferentes, uns mais antigos, uns mais novos, uns com pneus que vão à superfície, outros sem condutor, é super giro e chegar às paragens forradas a mosaicos brancos com o nome da estação a azul e branco é incrível assim como as publicidades (os meus pais explicavam me as que valiam a pena compreender) que caem sobre nós. Normalmente há um intervalo de quatro minutos entre cada metro que passa mas isso pode ser diferente de linha para linha. Se forem capazes aluguem as bicicletas espalhadas pela cidade mas eu não me metia nisso já que andar na estrada lá é um perigo.


E alojamento?
Nós ficamos em casa de familiares. Podíamos fazer as nossas próprias refeições e acima de tudo era uma grande poupança. Há muitos hotéis e há para todos os gostos, procurem (se tiver estação de metro perto é um bónus!), mas neste ponto não vos posso ajudar mesmo.

Sentis-te-te segura em Paris?
Isto é algo muito sério e importante e tive amigos que disseram que era maluca por ir para Paris quando o que não falta são atentados em França. Não ir seria seria limitar a minha liberdade por algo incerto. Eu senti-me extremamente segura em Paris, a sério. Havia militares armados até aos dentes em literalmente todo o lado, até nos bairros da periferia, nas ruas mais estreitas e escuras, eles estavam em todo o lado e davam uma enorme sensação de segurança. Qualquer que fosse o local onde entrássemos (fosse uma loja num centro comercial ou de rua, um museu ou até na zona das praias de Paris) pediam-nos para abrirmos a mala (se não percebem francês quando um segurança se dirigir a vocês abram a mala, eles dão uma vista rápida e podes seguir com a tua visita!) e em alguns locais como no Museu do Louvre passamos num detector e as nossas malas passam numa máquina tal como no aeroporto. A cidade está em alerta atentado e a segurança está no máximo e não podia ser de outra maneira.

Disseram que os franceses não falam inglês e nem sequer se esforçam para tal, é verdade?
Não, que eu tenha visto. Os meus pais falaram sempre em francês mas quando a minha mãe se via à rasca e o inglês a conseguia safar os franceses respondiam em inglês. Assisti a trabalhadores de museus, artistas de rua, o senhor dos crepes, seguranças e empregados de lojas a falar inglês. Não é um drama ir para França e não saber falar francês, mas dar uns toques ajuda!



E a comida é comestível ou nem por isso?
É demasiado comestível. Principalmente o pão! Não há um carrinho de supermercado sem uma baguete e os croissants de uma padaria acabadinhos de sair do forno?! São deliciosos, assim como os chouquettes, os macarons, os queijos, o pain au chocolat e outras coisas como os vinhos e os éclairs (que eu não gosto). Sugiro-vos a comprarem uma baguete e a fazerem o vosso almoço para um piquenique num jardim da cidade e de guloseima irem a uma pastelaria para provarem um pouco da doçaria francesa!

A cidade é limpa?
É uma cidade limpa com muitos caixotes do lixo mas quando se vai mais para a periferia a borda da estrada é a lixeira dos que passam, terrível. 

Como é o tempo por lá?
O tempo lá é bastante instável, dou-vos o exemplo de quando fui à Disney em 2009, um dia lindo e maravilhoso e à tarde houve uma tempestade com uma trovoada assustadora e chuva a cântaros. Este ano só apanhamos uns pinguinhos mas num dia podia estar nublado e frio e no a seguir um sol que não se aguenta. Tenho uma amiga que neste momento está em Paris e que disse que no dia a seguir a deixar a cidade apanhou a chuvada da vida dela. Levem sempre um casaco mais quente mesmo que seja verão e um guarda-chuva/impermeável. Nunca se sabe.



2 comentários:

  1. Bom post! No que diz respeito ao alojamento, opções não faltam nos bookings desta vida :p Também me senti segura, mas achei a cidade muito suja, honestamente! E essa coisa do tempo é TÃO verdadeeee!

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Mas que publicação tão enriquecedora!! Tens aqui dicas muuuito boas!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar