Páginas

January'16

Janeiro e 2016 começaram de uma forma excelente: abraçada a duas grandes amigas. Entre muita comida e cantorias se passou o ano e não houve passas ou meia noite sobre o pé direito. Em Janeiro  regressaram as aulas. Fomos aceites no Go3 após muitas horas de trabalho e iremos gozar o evento escutista já em Março. Organizei uma festa surpresa que foi ultra divertida e ofereci presentes que condizem com as minhas pessoas na totalidade. O meu grupo da ginástica ficou um bocadinho mais pobre mas neste mês começamos o processo criativo do esquema, escolhemos músicas e aparelhos, treinámos novos exercícios e a nossa coreografia está ainda no início mas muito desafiante e gira. Falei sobre lugares que amo de coração e com os quais fiquei fascinada e fui buscar ao baú das fotografias, (também conhecida como galeria do telemóvel) fotografias tiradas no ano passado e publiquei-as o que despoletou alguma nostalgia em mim. Comprei muitas coisas giras e estive na maravilhosa cidade que é a Batalha e ainda tive a oportunidade de a explorar! Apanhei muito frio e organizei um concurso de fotografia. Abracei muitas pessoas e os fins de semana de manhã foram todos aproveitados e foram todos produtivos o que me fez andar muito cansada e cheia de coisas para fazer. Mas depois do trabalho árduo há sempre algo que compensa. Janeiro durou eternidades e teve altos e baixos mas foi um excelente (re)começo!


Pequenas Vitórias

Desde que descobri que tinha a coluna feita num oito eu não parei a modalidade, porque me deixaram continuar a praticar ginástica, mas tive que complementar com outras coisas. Fazer outro desporto que ao mesmo tempo me ajudava a corrigir o meu problema, comecei a usar uma cinta (uma fita que se põe à volta do tronco e que mantém o músculo aquecido para não acontecerem mais lesões) nos treinos e tive que começar a ter mais cuidado, tive que começar a esforçar menos as minhas costas mas eu não parei. Eu não parei porque não quis parar. Eu não fiquei para trás e eu não perdi flexibilidade, que era um dos meus maiores medos. Após muitas dores e muitas noites sem posição para dormir, muitos arrastar-me da cama porque levantar-me doía muito ou guinchar quando espirrava, continuo a não estar completamente "curada" da escoliose mas já não me dói. Nem constantemente sofro de dores de costas e isto mostra uma grande evolução. Eu continuei a fazer exercício e não tive que desistir, o que seria um desgosto enorme. Sair das dores horríveis foi um alívio e uma vitória para mim. Eu dei 100% quando o meu corpo não me deixava dar os 100 e eu sobrevivi para contar a história. Ainda em constante recuperação com cuidados como jamais andar com a mochila num só ombro (não façam isso, a sério) eu estou no caminho correto e já sem dores e não podia estar mais satisfeita com a minha evolução. Não estou perto da recuperação total mas já estive tão mais longe e orgulho-me muito do caminho já percorrido.


The Day After Tomorrow

Vi este filme numa aula (sim, nós vemos filmes que "ilustram" a matéria em vez de a dar-mos, faz imenso sentido.) e apesar da maioria que já nos foi apresentada serem extremamente aborrecidos, o The Day After Tomorrow não o foi. Muito contrariamente. Foi interessante e enriquecedor. Não sou a maior fã de filmes de acção mas este convenceu-me.

Um planeta Terra num futuro próximo e uma enorme tempestade que afecta o mundo inteiro devido às mudanças climáticas e ao aquecimento global. Desde fenómenos meteorológicos bizarros a cheias, uma tempestade de neve tal que tudo congela (desta vez não foi a Elsa do Frozen!), temperaturas arrepiantes e tornados assustadores. Vidas e bens materiais são roubados e a destruição é inevitável. Um filme que se mantém de pé pelas promessas cumpridas, o significado da família e do amor, a coragem, a esperança e a luta pelos objectivos. Com Nova Iorque como principal pano de fundo, o que poderíamos querer mais? Retrata também o quão casmurros as pessoas que estão no poder são para gastar muito dinheiro a tentar reparar danos no planeta que foram realizados ao longo dos anos. 

Desperta para a necessidade da urgente mudança e este tipo de filmes toca-me muito. É também um grande alerta para aquilo que pode ou não acontecer dentro de algum tempo. É necessária uma mudança drástica para que haja um dia depois de amanhã.



8 Lugares para Visitar em Espanha

Hoje trago locais fabulosos onde passe(e)i vários dias incríveis em vários anos diferentes. São locais alguns com nomes que nunca ouviram falar mas são lugares lindíssimos cheios de história e de paisagens bonitas no país tão próximo do nosso. Espanha é mais que Barcelona e Madrid (que por curiosidade ainda não visitei!) e há tantas outras cidades giras para visitar, porque não?

San Sebastian
É uma autêntica cidade à beira mar, cheia de artistas de rua, boa comida e uma costa lindíssima. É um lugar onde a cidade e o mar vivem em harmonia. Uma cidade que respira jovialidade e boa disposição. Com prédios altos e areia no outro lado da rua. Pôr do Sol brutal e vistas de cortar a respiração. Dos meus locais preferidos sem sombra de dúvida. Localiza-se na costa norte perto da fronteira com França. 


Corunha
Lembram-se da fotografia incrível em que parecia que eu estava empoleirada no topo de uma pirâmide e que afinal era uma ilusão de óptica? Essa fotografia foi tirada na Corunha e é só uma rosa dos ventos vista de uma perspectiva incomum. Existe a Torre de Hércules para visitar que não pude subir mas a sua localização proporcionou um final de tarde e uma vista incrível.

Esta rosa dos ventos

Finisterra
 Onde está o ponto 0km do caminho de Santiago. Sim, termina em Finisterra e não a ao pé da Catedral de Santiago. Tem uma vista brutal sobre o mar e um farol com um ponto onde turistas e caminhantes deixam lembranças (pulseiras, autocolantes e coisas sem sentido e que só fazem lixo tipo botas rotas, sacos de cama estragados, enfim). Aqui era o local que achavam que era o cabo mais ocidental da Europa e mais tarde vieram a descobrir que o mais ocidental mesmo se localiza em Portugal, Cabo da Roca, Sintra. O farol é super giro e visualizar os caminhantes a chegar mesmo ao fim é brutal. 





Santiago de Compostela
Não podia faltar pela simbologia, pelas ruas incríveis cheias de comércio e as tradicionais conchas a indicar caminho para aqui e para ali. Caminhantes a concluírem um objectivo são imensos e a felicidade de colocar um ponto final na etapa é visível na cara deles. Quero muito um dia realizar o caminho de Santiago e esta visita intensificou a minha vontade. A Catedral é giríssima e as pessoas super simpáticas.


Granada
Aqui se localiza o Alhambra que é um palácio e fortaleza muçulmana, a última (salvo erro) da Península Ibérica. É um local para se passar um dia inteiro onde a arquitectura não desilude e os pormenores são fabulosos. Azulejos, tectos e jardins, tudo é diferente e único e é um local super giro para visitar. Quando lá fui tinha nove anos e fiquei deliciada e encantada com tudo!


Bilbao
Já fiz referencia a Bilbao tantas vezes! Pelo museu Guggenheim que alberga uma exposição permanente muito gira e que na altura esta uma exposição em exibição com arte da II Guerra Mundial que foi bastante interessante. Já referenciei a pousada de juventude em que quase todos os trabalhadores são portadores de uma deficiência e que está totalmente adaptado para eles poderem trabalhar. Para além disto é uma cidade "escura"  mas ao mesmo tempo cheia de luz mas que tem uma boa vibe e um bom interesse turístico. Malta com fobia de aranhas: há um estátua de uma de pelo menos três metros no exterior do museu, não quero que vos dê o treco!


Sevilha
Sevilha é conhecida por todos e destaco não só pelos recantos mais mirabolantes da cidade, mas só me lembro mesmo bem da Torre da Giralda. Uma torre que em vez de escadas se sobe por uma rampa e tem uma vista brutal. Quero muito regressar para conhecer mais.


Astúrias
Não é uma cidade específica mas acho que tudo na região das Astúrias me fascinou! A História, poder visitar Covadonga, os lagos que me fizeram lembrar fotografias que já vi de sítios como a Escócia ou a Islândia, as montanhas que nunca mais acabam, a neve ainda existente nas mesmas, a Ruta del Cares, ver o gigantesco Naranjo de Bulmes, as aldeias perdidas no meio da montanha, as estradinhas estreitas, a comida fabulosa e o marisco. Conhecer as histórias dos corajosos que tentaram escalar os Picos da Europa e mais uma vez poder passear à beira mar com uma temperatura incrível. Mais um local fabuloso e mais um favorito.


Uma Visita Guiada ao Meu Bullet Journal

Descobri o conceito de bullet jounal quando vi este vídeo e partir do momento em que conheci a ideia eu não parei de ver vídeos, publicações, tudo e mais alguma coisa sobre os bullets. O que é um bullet journal? Dizem ser uma agenda totalmente personalizada pelo detentor do caderninho em questão mas para mim o bullet journal é mais que uma agenda. É um bloco de notas, uma lista de tarefas, assim como um registo de memórias, um scrapbook, um entretenimento, um calendário e um memorando. Sim. Isto tudo junto. Utilizo-o na sua maioria para apontar trabalhos e coisas para fazer (pesquisar uma coisa, imprimir uma ficha, registar uma dúvida e.t.c.) e faz com que eu não me esqueça de realizar NENHUM trabalho de casa até porque me obrigo a riscar todos os itens.

Antes de apresentar o seu conteúdo interior comecemos pelo exterior. Este caderno pautado A5 (aqui) foi comprado por 4£ (aproximadamente 5,23€) na loja do museu Victoria & Albert. Acho que foi barato para o que é, para a qualidade e para o local onde foi adquirido. A capa é um padrão de papel de parede indiano de George Gilbert Scott. Fiquei apaixonadíssima pelo caderninho! Quando descobri os bullets ainda andava a pensar no que fazer com o caderno até que decidi arriscar. As inseguranças de deixar de ligar, do estragar um caderno significativo com tretas e manias eram muitas mas eu arrisquei.



Registos de Viagens

Durante o fim de semana encontrei arquivados cá em casa textos meus com letra ainda na tentativa da perfeição ao estilo que aprendemos na primária datadas de 2009/2010. Textos esses nos quais relatava vagamente as minhas férias. Com frases nada complexas e curtas que hoje são verdadeiras relíquias para mim. Despertaram de novo sensações e pormenores (pormenores a sério tipo o número de chaminés de um castelo ou um animal com que brinquei) já perdidos na minha memória e senti-me como que a reviver todos os momentos. 

Paris, Bretanha, Chambord e Normandia (França) e Sevilha, Puerto Banus, Alhandra, Marbella, Fuengirola, Ronda e Gibraltar (Espanha) para além do Algarve e da terrinha são os locais descritos pela pequena Leonor em vários textos. São registos meus, que transpiram memórias e que relatam de uma maneira tão inocente e delicada a minha forma de ver a grandiosidade das coisas e que me fizeram as delícias daquele dia. E reflectindo sobre isto, comecei a registar viagens naquela data, quase que inconscientemente num texto sobre "as minhas férias", mais tarde cheguei a registar num bloco de notas locais que visitei noutra região do nosso país como que num diário de bordo (já de 2012) onde registei todos os sítios a que fomos e já em 2015 registei no meu blogue Londres. Nota-se aqui uma evolução no suporte em que escrevia e se eu achava que só tinha registado Londres estava redondamente enganada. A evolução da escrita e da letra nota-se muito, assim como dos erros ortográficos, do lápis para a caneta, rabiscos e a minha forma de descrição dos locais e ainda se percebe o entusiasmo escondido entre cada palavra. 

Tenho muita pena de não ter registado outras das minhas viagens sem ser em fotografias pois visitei mais alguns lugares incríveis tanto em Portugal como em Espanha que mereciam um texto estruturado por cada canto das terriolas, cidades e pormenores das mesmas. Não posso voltar a cometer uma falha destas, é inadmissível. Obrigada Leonor de 2009 por com um texto tão "miserável" me teres feito voltar atrás no tempo e por teres congelado momentos marcantes da minha vida em papel, infinitamente grata.


50 Factos Sobre Mim

1 - Ponho o leite antes dos cereais;
2 - Sou destra mas como "à canhoto";
3 - Tiro mais fotografias ao mundo que me rodeia que a mim mesma;
4 - Eu nunca parti um osso, fiz uma contractura, tive uma câimbria ou distinção muscular;
5 - Odeio arrumar mas adoro ver as coisas arrumadas e organizadas;
6 - Já estive dentro de um vulcão extinto;
7 - O meu primeiro concerto foi um dos The Gift;
8 - Tenho um problema com cadernos e blocos de notas, tenho às resmas!;
9 - Prefiro o tumblr ao we heart it, milhões de vezes!
10 - O meu livro favorito da saga Harry Potter é o Harry Potter e a Ordem da Fénix;
11- Conheço muitos lugares e museus de interesse turístico em Lisboa graças a uma colónia de férias que frequentei durante vários anos. Durava as férias de verão inteiras, estavam lá todos os meus amigos de infância e depois de todos termos ido para escolas diferentes continuamos a reunir-nos lá nos 6 anos que se seguiram. Promovia-se muito a cultura, o aprender a brincar e a fazer peddy papers e jogos, visitávamos castelos, palácios, exposições, museus, fomos ao teatro e graças a isso já visitei a grande maioria dos museus e atracções culturais da grande Lisboa;
12. No ano passado conheci uma Leonor com a mesma idade que eu, ambas escuteiras e ginastas, na altura ambas adorávamos One Direction e vivíamos perto, demasiadas coincidências;
13. Só vi o meu animal preferido uma vez;
14. Para além de ginástica rítmica gosto imenso de voleibol e badmington;
15- Adoro andar de meias brancas, o problema? Adoro igualmente andar descalça;
16 - Sou fraquérrima a fazer flexões mas sou barra a fazer abdominais;
17 - Das coisas mais estranhas que já me aconteceram enquanto dormia: cair-me o candeeiro da mesa de cabeceira na cabeça a meio do meu sono e acordar com a cabeça no lugar dos pés e tentar sair pelo lado "normal" e ter lá parede, quase que entrei em pânico.
18 - Eu gosto mais de lojas de decoração do que lojas de outra coisa qualquer;
19 - Eu e o meu irmão somos gémeos de signo mas não somos gémeos mas somo-lo at the same time;
20 - Durmo sempre naquilo que dizem ser "posição de bailarina";
21 - Eu divirto-me (muito!) a ver vídeos de duas horas de campeonatos do mundo de ginástica;
22 - Sou muito nervosa e stresso muito facilmente;
23 - Ao contrário de muita gente, eu gosto de arte e de arquitectura moderna;
24 - Eu consegui resolver o teste do Einstein;
25 - Eu tenho marca preferida de meias. Sim, meias e é a Artengo;
26 - Sigo postas de canais de moda e beleza mas não gosto e não vejo vídeos de tutoriais de maquilhagem;
27 - Fixo mais vozes que caras;
28 - Sou muito resistente à dor física;
29 - Oregãos é amor;
30 - Quando ouvia notícias de raptos nas notícias eu ficava com tanto medo que quando ia dormir me agarrava de tal forma à roupa de cama de modo a que "os ladrões" não me conseguissem tirar porque estava agarrada. Inteligente..:
31 - Quando entrei para os escuteiros - com seis anos - não fazia a mínima ideia do que se fazia e entrei porque quis;
32 - Fiz questão de agradecer  a uma professora no final do ano pelos ensinamentos que deu, por me ter feito adorar completamente a disciplina e pelos seus métodos, no regrets, a minha professora favorita so far e é uma pena ter deixado de ensinar à minha turma;
33 - Tenho o medo estúpido de não conseguir. Digo muito que não vou conseguir sem sequer tentar.
34 - Os únicos mundos do Super Mario Bros que consigo passar na totalidade são os três primeiros;
35 - Nunca gostei dos livros de leitura obrigatória;
36 - Estive cinco meses no mesmo nível do Candy Crush;
37 -  Acho-me desinteressante;
38 - Adoro (mesmo!) a pronúncia do norte;
39 - Fixo muito bem nomes e datas e tenho técnicas de decorar coisas muito estranhas e ridículas, comigo funciona!
40 - Tive um momento de glória inesperada na minha vida  e chorei de felicidade;
41 - Nunca fui de escrever em diários, tive dois e escrevi lá pouquíssimas vezes;
42 - Tenho a mania que levo ao extremo de comer o que não gosto do prato primeiro. Porque sou apologista de não deitar comida ao lixo e porque se comer os legumes primeiro de seguida posso desfrutar da minha refeição na totalidade. Isto elevou-se ao ponto de eu abrir chamuças, comer o interior e depois, sim, comer a massa, porque acho a massa crocante a melhor parte;
43 - Como já devem ter reparado, eu não consigo manter rubricas;
44 - A minha fruta absolutamente preferida é manga;
45 - Os meus gelados preferidos são o de Cheesecake da Häggen-Dazs e o de côco do Pingo Doce.
46 - Tenho muito orgulho em ter incentivado duas pessoas a ler Harry Potter, que começaram a amar ainda mais a história.
47 - Por falar em Harry Potter, as minhas personagens preferidas são a Luna, o Neville, a McGonagall, o Snape e o Lupin.
48 - Se eu dou like num vídeo do youtube é porque vale mesmo a pena porque quando me apetece vou à página do "vídeos que gostei" e esses são os vídeos para ver e rever e que são realmente vídeos incansáveis. Se eu dou like num vídeo, é porque é mesmo bom.
49 - Há quatro anos atrás escrevi um texto num teste e a professora gostou tanto que ainda no ano passado o leu às pessoas que estão no ano em que estava, pessoas que conheço vieram-me dizer isso e fiquei um bocadinho estupefacta.
50 - Odeio, mas odeio mesmo, na ginástica, fazer passagens por espargata e barquinhos, odeio!


Arte Urbana ou Vandalismo?

Vi imensos tweets sobre o tema "Arte ou Vandalismo" e senti-me muito tentada a explicar aquilo que penso sobre o assunto devido a já ter visto discussões sobre o mesmo. Mas afinal, quais são as diferenças? A principal e a que distingue mais facilmente uma da outra é se foi autorizado pelo dono do local, pelo município ou outras autoridades do género é arte urbana. se for arte realizada sem o consentimento do proprietário do sítio é vandalismo. Simples. Não interessa o quão bem feito está, a técnica, a perspectiva, os materiais, o contexto do local, ou sequer quem o fez, só é arte urbana se o local for concedido ao artista. 


Eu consigo

Muito sinceramente, a minha maior motivação para tudo é pensar "se já tanta gente conseguiu, eu também consigo" e de que modo isto me ajuda a mudar a minha mentalidade sobre as coisas? Eu penso que não sou menos que ninguém (também não sou mais), tenho defeitos e qualidades como toda a gente e isso define-me e define aquilo que faço. Posso começar um projecto ou uma tarefa bem desmotivada ou algo que não acredito conseguir fazer, acabar ou sequer concretizar mas "como é que gente com menos "habilidades" na área que eu conseguiu e eu acho que não o consigo fazer?!". É um jogo que faço com a minha cabeça e é extremamente difícil acreditar que consigo, ter iniciativa e motivação e esta é a única forma de não desabar e de não baixar os braços. Eu consigo porque eu não sou menos que ninguém e a única coisa que não me permite conseguir é a minha cabeça. Eu sou mais, muito mais, que aquilo que eu própria acho e eu consigo fazer muito mais que aquilo que imagino. Eu sou capaz de tudo e só tenho que acreditar nisso para o ser.


A Ruta del Cares

A Ruta del Cares é um percurso pedestre situado bem no meio dos Picos da Europa (por outras palavras, nas Astúrias, Espanha) e que tem um comprimento total de 24 quilómetros (ida e volta) dos quais só fiz metade por ser a parte mais gira do percurso. Localiza-se ao longo do rio Cares (daí o nome!), começando quase que com os pés na água e ao longo do troço a altitude vai aumentando até que o rio esteja a uns bons metros dos nossos pés. É um percurso realizado junto a um desfiladeiro e não é (de todo!) recomendável para quem tem medo de alturas e/ou vertigens. 

Quando fui estávamos no pico do Verão e fez-se bastante bem. Mas o que tem de tão especial um percurso pedestre no meio das montanhas? As pontes, a beleza natural do lugar, o sentimento que somos coisas tão pequenas ao lado de uma gigante montanha que mesmo no meio de Agosto tem neve no cimo, adrenalina de pisar grades (tipo sky walk) e de só voltar a ter chão metros e metros a baixo, as grutas atravessadas ao longo do percurso e o ar puro em redor. Estamos como que abraçados pela natureza. 

Embora à beira de uma grande inclinação não achei perigoso  pois o troço era largo o suficiente para se andar confortavelmente, temos (obviamente) que ter cuidado para não ocorrem infelizes acontecimentos já que estamos por nossa conta. Já na vinda é fabuloso refrescar-mo-nos no Cares onde a água é mesmo geladinha! Considero o terreno de dificuldade média e a própria dificuldade do percurso (embora eu tenha preparação física) vou considerar baixa/média. Há imensas pessoas a fazer a Ruta del Cares e este caminho recebe milhares de visitantes anualmente!  Imperdivel para os amantes de caminhadas que valem bem pena. Curiosos? Em vez de uma imagem, deixo-vos um vídeo para se deliciarem com o local!

Viajário

Este Natal recebi boas prendas, não foram imensas mas foram suficientes. Tudo o que recebi foi a pedido meu mas houve dois itens que não estavam na minha lista. Foram uma surpresa, uma boa surpresa e ambos são mesmo a minha cara. O presente que vos venho falar hoje é um livro por preencher sobre viagens. Chegaram a confessar-me que quando o viram exposto ele gritava mesmo o meu nome.

Com um design simples, fresco e clássico este livro/diário conquistou-me pelas imagens ilustrativas simples sem muitos rocócós, com frases sugestivas ao tema retiradas dos mais diversos livros a separar os "capítulos". Tem uma lista de "não esquecer" onde já vem escrito a escova de dentes e traz imenso espaço para colocar mil e um itens indispensáveis. Calendários até 2023, fusos horários, temperaturas e dias de chuva, e obviamente um espaço para preencher com os nossos dados pessoais. Agora sim a parte mais "a sério". Um espaço para wishlist de viagens (onde já tenho três destinos e alguns locais a (re)visitar: Londres, Paris e Nova Iorque). Páginas para planear uma saída com local para controlar tudo o que se compra, com quem, a onde, quando e o porquê da viagem. Há também páginas para passeios com tantos outros itens para preencher e ainda espaço para fotografias/recortes. E ainda as últimas secções: Viagens curtas; Viagens longas. Muitas linhas para escrever momentos memoráveis, linhas por preencher com objectos a não esquecer, itinerário, guias de viagem e companheiros. Espaços de coisas a fazer antes e depois das viagens. E por fim (e no fim!) mas não menos importante, um envelope para pôr fotos, recortes, imagens e.t.c.

O Viajário está disponível na Fnac, neste momento por 9€ (preço de saldo). Tem muito para preencher e escrever e ainda vou arranjar uma maneira de desfrutar dele da maneira mais correta. Para todos os amantes de viagens e para aqueles que gostam de registar as pequenas escapadinhas, está aqui um caderno muito interessante. Eu gostei e quero dar-lhe muito uso!


TRAVEL GUIDE: TOMAR | Convento de Cristo

Antes dos meus dez anos visitei imensos museus e locais emblemáticos do nosso país (e alguns locais no estrangeiro também). Fui por exemplo ao Oceanário, à Gulbenkian ou à Quinta da Regaleira antes de sequer saber ler e escrever e nunca mais lá voltei. O mesmo acontece com o Convento de Cristo. Um icon cultural numa cidade que me diz imenso, Tomar. E passado imensos anos, eu voltei lá.

Considerado Património Mundial pela UNESCO com mil e um claustros (eu perdi-me de tantos!), as escadinhas em caracol, as salas, os quartos, pátios, o refeitório, a igreja, em forma circular para os cavaleiros templários poderem lá estar montados nos seus cavalos, muitas escadarias, becos sem saída, tudo num gélido e antigo Convento. Fiquei fascinada com os detalhes da arquitectura e com os pormenores tão típicos da arte manuelina. A icónica Janela do Capítulo é muito maior que aquilo que esperava e fiquei muito surpreendida pelas muitas línguas diferentes que ouvi falar dentro daquele enorme monumento labirintíco. Placas bem colocadas e explícitas para os mais perdidos, painéis informativos, objectos do dia-a-dia em exposição, muitos sítios para explorar. Um local bonito e com muita história que valeu muito a pena visitar num bom final de tarde.

Mais informações: site oficial ; bilhetes; horário.



A nossa tradição de primeiro dia do ano é... Ir ver o mar!