Páginas

EVENT | O Quebra Nozes em Ballet

Os presentes natalícios cada vez menos são materiais e cada vez mais são experiências e oportunidades. Eu já queria assistir a um bailado há séculos e esta onda de espectáculos que invadiu o nosso país deixou-me com o bichinho e foi a vez dos meus pais de me presentearem com algo que tanto queria. Os bailados são bem mais caros que uma sessão de cinema ou uma ida ao teatro mas sinto que nos trazem muito mais e que tem muito mais trabalho de estúdio e fora do palco. Escolhi o Quebra Nozes por ser da minha lista o mais natalício e o que mais me lembra a minha infância e o arrependimento é nulo.

É um espectáculo comprido que começa com muitas pessoas em palco o que começa por ser confuso. É uma parte muito teatral e pouco bailada pelo que foi a que menos gostei apesar de compreender completamente o quão necessário foi para dar tronco à história (que era um pouco diferente daquela que me lembrava). A partir daí foi aquilo que queria mesmo ver: ballet nu e cru. E foi deslumbrante. Apesar das falhas de sincronia em algumas partes a essência estava lá: a serenidade e a paixão no olhar, os movimentos leves como se fossem extremamente simples, que obviamente não o são, os braços compridos, a postura exímia e a preocupação com os pormenores. Estava lá tudo aquilo que eu esperava e saí satisfeita e com a sensação que valeu cada cêntimo.

Os bailarinos do Russian Classical Ballet foram esplêndidos apesar deste ser só um cheirinho de todos os outros bailados que pretendo assistir e o Tivoli BBVA não estava de todo na minha wishlist de locais a assistir a um bailado, mas mesmo assim chegou-me. Achei que a bailarina que interpretava a Clara teve uma prestação estupenda assim como o duo de bailarinos que interpretou os árabes e os chineses. Os Pas de Deux foram as minhas partes preferidas e achei que os figurinos estavam belíssimos especialmente após o intervalo do espectáculo. Tenho um carinho enorme pela banda sonora de Tchaikovsky pois uma boa parte das músicas eu já conhecia e havia uma em especial que é a da Dança da Fada do Açúcar que é totalmente a minha infância. Sou aficionada pelo mundo dos tutus e das sapatilhas de ponta desde pequena apesar de já ter deixado este universo há muitos anos mas esta foi uma pequena maneira de satisfazer o meu eu interior de ballet. Se depender de mim muitos mais bailados virão!


1 comentário:

  1. Eu adorava ter a oportunidade de ver um bailado como esse.
    Sempre adorei ballet.
    Bom Natal!
    https://dailyvlife.blogspot.pt/

    ResponderEliminar